Airbus começa a testar seu táxi voador autônomo

Airbus começa a testar seu táxi voador autônomo

Airbus, líder mundial na fabricação de aviões comerciais está desenvolvendo um projeto de táxis voadores autônomos. Eles começarão a ser testados ainda neste ano, anunciou a empresa nesta segunda-feira, 13.

A expectativa é criar usar essas aeronaves privadas chamadas de Vahana para criar um serviço similar ao oferecido pela Uber, em que alguém pode chamar um desses veículos aéreos para sobrevoar o trânsito intenso das grandes cidades.

A empresa conseguiu mover a aeronave para um hangar dedicado na cidade de Pendleton, no estado do Oregon, nos Estados Unidos. Todo o processo de desmontagem, transporte e remontagem foi feito em apenas um dia. Desta forma mostra que a equipe teve sucesso ao projetar um veículo que pudesse ser montado e desmontado rapidamente.

A ideia é que a partir de 2020 a tecnologia já esteja pronto para se transformar em um produto real.

Como funciona o táxi voador

Os Vahanas – táxis voadores – poderão ser solicitados por aplicativo. O usuário solicita uma viagem, vê o custo, quanto tempo vai levar e se direciona até um ponto de pouso para entrar no Vahana. No vídeo, a viagem de exemplo é de San José até San Francisco, na Califórnia. O percurso, que levaria cerca de uma hora de carro, leva 18 minutos no Vahana e custa US$ 77. Ou seja, basicamente o mesmo preço de um Uber na mesma distância. Veja o vídeo abaixo:

Só para ilustrar o vídeo também mostra um pouco da tecnologia que os Vahanas usarão. Ao mesmo tempo que todos eles ficam em comunicação constante com uma central de tráfego aéreo que coordena o trajeto de voo dos táxis aéreos. Visto que é essa central a responsável por determinar a rota do veículo quando o usuário informa aonde quer ir. Assim sendo ela não entra em conflito com a rota dos outros Vahanas.

Dessa forma, Antes de se levantar, o táxi aéreo faz uma série de verificações do sistema para garantir que tudo está funcionando bem. Enquanto isso, o passageiro se acomoda no único assento disponível. Desse modo, quando o passageiro está acomodado e as checagens se encerram, ele é então solicitado a confirmar que está pronto para a decolagem.

Durante o voo, o transporte aéreo usa sensores para detectar objetos e movimentos próximos a si. Isso permite que ele desvie de pássaros, por exemplo. Bem como, ao encontrar algum obstáculo desse tipo, o veículo também transmite informações sobre sua posição, velocidade e tamanho a outros Vahanas próximos para que eles possam alterar suas rotas de acordo.

Fonte: Olhar Digital
Mais novidades? Acesse nosso Blog!
Conheça nossa página no Facebook

Sobre o Autor

Deixe uma Resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.